Hora da Fruta

banner hora da fruta

No Colégio Nobel, os alunos da Educação Infantil são incentivados diariamente a experimentar e desenvolver o gosto por alimentos saudáveis

Assim como diz a canção “…pera, uva, maçã, salada mista…” é que são os segundos recreios dos alunos da Educação Infantil do Colégio Nobel. Todos os dias, os estudantes são estimulados a trazer lanches saudáveis e também uma fruta, que permanece reservada até pouco mais da metade do período de aula para ser compartilhada entre todos da turma. O resultado é uma verdadeira salada mista de frutas.

A professora Maria Alice Dantas Farinha Boveto corta uma laranja para os alunos: "até alguns legumes eles já provaram".

A professora Maria Alice Dantas Farinha Boveto corta uma laranja para os alunos: “até alguns legumes eles já provaram”.

“Criança saudável é aquela que se alimenta bem e aqui ela têm a oportunidade de provar diversos sabores. Mesmo a criança que nunca provou um kiwi, por exemplo, nestes momentos tem a oportunidade de saborear a fruta do amigo e assim conhecer novos paladares e de aprender a gostar do alimento. Até alguns legumes e verduras já foram compartilhados”, revela a professora Maria Alice Dantas Farinha Boveto.
A Hora da Fruta, como é chamado esse segundo intervalo, vem contribuindo há anos para o despertar de uma vida mais saudável nas crianças. Para atrair os olhares e as atenções para esse momento, diariamente as frutas são cortadas de maneiras diferentes, saboreadas em diversos espaços do colégio, que são sempre seguidos de uma recompensa, como o momento de brincar no parquinho. “É uma hora que eles esperam porque está sempre associada a uma recompensa positiva que vem depois. Assim, desligamos a imagem da fruta com a obrigação de consumi-la”, explica.

Renan Bueno, Nicolly Sella Morzelle e Bruna Carolina Baum. Na primeira foto, Julia El-Memari adoram alimentar-se de frutas

Renan Bueno, Nicolly Sella Morzelle e Bruna Carolina Baum. Na primeira foto, Julia El-Memari adoram alimentar-se de frutas

O aluno Renan de Mello Bueno garante que tem crescido cada dia mais forte graças às frutas que ingere. “Se a gente comer bastante, a gente vai crescer ainda mais. Antes eu não gostava de pera e agora eu adoro”, revela.
Por falar em pera, o alimento ainda não é uma das frutas preferidas de Lara Gabriela Previatte Lira. Mas, em compensação, ela diz gostar de maçã, laranja, banana, melancia, mesmo não gostando dos sabores, pois tudo é uma questão de hábito.” E foi por conta deste hábito que Camila Zagatto Vieira, aluna que entrou este ano no colégio, agora prova todas as frutas que vê pela frente. “Antes eu não gostava porque achava o gosto ruim. Agora eu amo maçã e banana. Até verduras eu já como”, conta.