Na Educação Infantil e Ensino Fundamental do Nobel, a aprendizagem da língua inglesa não se dá apenas em aulas específicas. Os alunos convivem em todos os setores do colégio com o segundo idioma.

O inglês passou a fazer parte da rotina dos alunos: até as placas indicativas estão com dizeres em português e inglês.

O inglês passou a fazer parte da rotina dos alunos: até as placas indicativas estão com dizeres em português e inglês.

Tornar o inglês uma língua fácil de aprender e comum de se falar é uma maneira de fazer com que as crianças pratiquem o idioma desde cedo e se habituem a uma nova forma de se comunicar. Por essa razão, o Nobel inseriu o idioma na rotina escolar de forma leve e
funcional para que elas aprendam naturalmente.
Ao passar pelos portões do colégio todos os dias, os alunos se deparam com placas indicativas
em inglês e português no pátio, nas portas das salas de aulas, na cantina e em outros espaços de
uso comum. Até as salas onde o inglês é ensinado levam nomes de países que têm o idioma como língua oficial.
A coordenadora Maria Emília Gazin Silvestre ressalta que no ambiente extraescolar os alunos estão habituados a lidar com o idioma, já que os jogos virtuais e as músicas fazem parte da rotina da maioria deles. Por este motivo, segundo ela, as crianças têm vontade de conhecer, de saber inglês.
E, ao aprenderem uma nova língua, sentem-se mais confiantes. “Muitos querem ensinar os amigos, assistem filmes e comentam na escola sobre as coisas que entendem”, diz, reforçando que isso não é um modismo e que os alunos entendem este conhecimento como uma necessidade.
Para fazer com que o aprendizado do idioma fique mais divertido, os alunos do Nobel participam de dinâmicas que contextualizam diversas situações do dia a dia. No Dia dos Pais, por exemplo, as crianças produziram cartões com dizeres em inglês. Outra ação foi o evento “1001 Faces do Trabalho”, quando alunos falaram, em inglês, sobre as profissões dos pais. Eles também discorreram, em inglês, sobre a profissão que pretendem seguir. “Isso ajuda no desenvolvimento e funciona para que as crianças se acostumem a praticar a nova língua”.

Uma oportunidade para os alunos desenvolverem o idioma e perderem o medo de falar foi o projeto “Brasil, mostra tua cara”. Eles estudaram os estados brasileiros e expuseram o que aprenderam na escola. Durante a exposição, os estudantes deram as informações sobre os estados em inglês, como se estivessem falando com turistas estrangeiros.

Em outra iniciativa, em que receberam os avós na escola para um evento cultural, as crianças produziram, sob a supervisão de monitores, quitutes para servir aos convidados. “Nossos alunos aprenderam os nomes em inglês dos alimentos e dos pratos que prepararam”, diz a professora Miriam Maria Pizaia, da Educação Infantil. Até o convite dos vovôs foi produzido em inglês, com os dizeres “I love my grandparents”. Traduzindo: “Eu amo meus avós”.

Auxílio
As aulas de inglês também ajudam  na aprendizagem da língua materna. Isso porque o professor faz comparações entre inglês e português para que as crianças entendam significados. “A inserção do idioma faz diferença nas aulas”, diz a professora de Português e Produção de Texto Rosana Celia Baldave de Almeida.

Ela conta que os alunos aprendem sinônimos utilizando o inglês como referência, a exemplo da expressão “the end”, que significa fim, término, palavras  que são sinônimos. Rosana destaca que como forma de diminuir certa dificuldade com a  pronúncia, as crianças são orientadas a assistir filmes legendados prestando atenção à fala dos atores.
Como boa parte dos alunos não está matriculada em escolas de inglês – e nem é esta a intenção – há a preocupação de proporcionar aulas com conteúdo atualizado. Um dos métodos é estimular as crianças não só a falar,  mas a pensar em inglês. Dessa forma, outras áreas cognitivas são desenvolvidas e estimuladas, o que facilita o aprendizado e o hábito com a nova língua.